São João Literário

Oie pessoal, tudo bem?
Fiquei sumida por uns dias, minha internet está horrivel!!! Está chovendo todos os dias, e a chuva atrapalha uns fios aqui e o computador fica muuito lerdo, e a internet pior ainda, foi um sufoco conseguir postar essa promo aqui hoje...(quase não joguei o teclado na parede)
Não tenho certeza se teremos resenhas essa semana, provavelmente deixarei o blog postá-las sozinho *-* Um beijo ♥

Para você que curte uma festa junina, não vai poder ficar de fora do "São João Literário" que os blogs Alegria de Amar e Viver o que é BomAnimus Book, Fábrica dos ConvitesLeitores Compulsivos, Ler é o Melhor LazerLost Girly GirlMemories of the AngelMilkShake de Palavras, Olhos de Ressaca, Saleta de Leitura e Vitrine de Promoções estão organizando.
Você é nosso convidado de honra e para participar basta preencher o formulário abaixo e torcer para que no fim do arraial você seja um dos que levarão para casa estas prendas:
  1. Livro Surpresa* Alegria de Amar e Viver o que é Bom); 
  2. Entre Quatro Paredes (Animus Book);
  3. O Poder da Energia (Fábrica dos Convites)
  4. A Arte da Imperfeição (Leitores Compulsivos);
  5. Livro Lua de Mel (Ler é o Melhor Lazer); 
  6. Pão e arte (Lost Girly Girl);
  7. Apegados (Memories of the Angel); 
  8. A Arte da Imperfeição (MilkShake de Palavras);
  9.  Jardim de Inverno (Olhos de Ressaca);
  10. A Sabedoria do Condado (Saleta de Leitura);
  11. A Casa das Orquídeas (Vitrine de Promoções)
Eita trem bão não é? Então não perca tempo e caia neste arrasta pé:

a Rafflecopter giveaway
Os prêmios serão divididos entre 2 ganhadores, sendo que o primeiro sorteado ficará com os 7 primeiros livros e o segundo sorteado com os 4 restantes da lista.
Você tem até o dia 30/06 para participar deste arraial, chame os amigos e toda a família, pois a festa é para todos que tem endereço no Brasil!
Cada blog será responsável pelo envio de sua prenda em até 60 dias.
Boa sorte para todos!

MilkMilks
Dryh Meira

Meu namorado é um zumbi

 Oie pessoal, tudo bem?
Com o friozinho que está fazendo no interior, bom mesmo seria entrar embaixo das cobertas, fazer uma pipoquinha e ver um filme...Há alguns dias atrás eu vi o filme Meu namorado é um zumbi, e deixei a resenha prontinha para hoje, vamos ver?

Direção:Jonathan Levine
Elenco:Teresa Palmer, John Malkovich,Nicolas Hoult, Dave Franco
Duração:97 minutos
Ano:2012
Gênero:Comédia dramática

Sinopse
Em um cenário pós-apocalíptico,  o zumbi R (Nicholas Hoult) passa por uma crise existencial e criando laços de amizade com uma humana chamada Julie (Teresa Palmer), uma de suas vítimas por quem acaba se interessando amorosamente. O problema é que este relacionamento acaba causando uma reação em cadeia em outros mortos-vivos, mas o general Grigio (John Malkovich) não está interessado neste tipo de mudança e sim no total extermínio da ameaça zumbi.



Do nada um vírus atacou o planeta, e milhões de pessoas se tornaram zumbis, que atacam os vivos para sobreviver. R não se lembra de nada além da primeira letra do seu nome, e vive num avião que fica na pista de pouso de um aeroporto, onde dezenas de zumbis vagam todos os dias, como se tivessem uma rotina. Meu namorado é um zumbi é a adaptação do livro Sangue Quente, de Isaac Marion.
 
Para que os zumbis não continuassem a atacar os humanos que ainda estavam vivos, um muro enorme foi criado dividindo a cidade, e quando Julie vai com uma equipe atrás de medicamentos na parte dos zumbis, ela dá de cara com R.

Tinha expectativas muito altas para o filme, apesar de ter visto muitas criticas ruins sobre ele. Quando falam de zumbis, você imagina pessoas destroçadas fazendo de tudo para devorar umas ás outras, e muito feias, não um zumbi muuito lindo (demais) que não é destroçado, não faltam partes de seu corpo, e é meio que limpinho, e você também não imagina que ele possa se apaixonar por uma pessoa viva.

Por mais que eu soubesse que o filme era de romance, esperava pelo menos uma açãozinha ali no meio, principalmente porque no livro tinha uma coisinha a mais. (mesmo o filme sendo apenas uma adaptação do livro, eu sempre acabo comparando os dois...Ás vezes até demais.) A única coisa que salva o filme do “meloso” são os Ossudos, que é um grupo de zumbis totalmente destruídos, que já se decomporam por inteiros, e que não tem mais nenhum pingo de esperança, e que são só osso.

Ainda fico tentando entender como um zumbi pode falar. Sim, talvez eles possam emitir uns grunhidos como GRR, ou RAA, mas não frases completas como NÃO É SALVO, ou então VAMOS AJUDAR...Sinceramente, de onde tiraram essa idéia de que zumbis falam e tem controle suficiente para abrir a porta de um avião? E é impressionante a velocidade que os zumbis correm (correm mais rápido que eu).

O final do filme é muito rápido, do nada tudo acaba e todos vivem felizes para sempre, reconstruindo o mundo, como se aquela cidade fosse a única infectada e como se o mundo todo não estivesse infectado por um vírus ou sei lá o que o atingiu. Disseram no filme que o amor de R com a garota foi o que salvou todo mundo, mas quem poderia garantir que a mudança chegou até o Japão, ou outro país? Eles deveriam ter deixado um quê de mistério nisso tudo, como acontece em A hospedeira, o filme acaba mas a história não. Seria bem mais legal.

O filme é um clichê total, apocalipse zumbi e romance entre uma pessoa comum e um ser sobrenatural, mas não posso esquecer de mencionar que é um filme bem fofo, principalmente com R protegendo Julie. R apesar de ser um zumbi (que fala) é bem bobinho, e faz de tudo para ajudar Julie, que é mais uma garota rebelde (desta vez foi fácil simpatizar com ela.)

Uma coisa que eu achei bem estranho, foi o fato de que num dia Julie está chorando com medo de R, e no outro ela já nem liga mais de ele ser um zumbi, e finge que tudo está bem, como se ele fosse um antigo amigo humano. O filme também é bem engraçado, principalmente da parte dos zumbis.
 
Por mais que tenha vários pontos negativos, Meu namorado é um zumbi é um filme muito bonito, e divertido. É um pouco clichêzinho e enrolado no inicio, mas logo percebemos a idéia do autor do livro e do diretor do filme. Ainda não me conformo com o final, mas devo dizer que é um filme maravilhoso.

Obs.: Preciso urgentemente de um R para mim *-*



Nota : 8,0

MilkMilks
Dryh Meira

Capa X Capa + Resenha A rainha da primavera

Oie pessoal, tudo bem?
Sumi por uns dias mas já estou de volta, e trago comigo uma nova coluna para o blog, inspirado em vários outros blogs: a coluna Capa X Capa, que é onde os blogueiros mostram as capas de um livro em vários países. Não vou fazer como eles, decidi mudar um pouco, colocando capas de livros diferentes, e fazer a comparação entre elas.

Começando por Belo Desastre, que foi resenhado aqui na semana passada pela Flávia:


   A primeira capa é a usada no Brasil. A capa é bem bonita, mas não se encaixa no perfil do livro, que é algo um pouco a mais, e a capa não prepara o leitor para o que vai ver no livro. Na primeira vez que vi essa capa, pensei que fosse um livro de romance, daqueles que algum personagem morre num trágico acidente e o outro precisa reconstruir sua vida.

A segunda capa, a original, usada no país de origem da autora, é um pouco melhor, mas aquelas imagens dentro da boca da mulher deixam a desejar.
Dentre as duas, escolheria a primeira.

E vocês? Qual capa acham mais bonita?


A rainha da primavera

Vocês já devem ter ouvido falar da Karen Soarele, certo? Ela é autora parceira do blog, e é autora dos livros Línguas de Fogo e A rainha da primavera, a resenha que vamos ter hoje...Vamos lá? (quem quiser ler o e-book do livro, é só clicar aqui e será direcionado ao blog da autora, onde se encontra o e-book)


Titulo: A rainha da primavera
Autora: Karen Soarele
Editora: Cubo mágico
Edição: E-book
Páginas: 88
SinopseEm um reino em decadência, um guerreiro em busca de redenção e um conselheiro real trilham uma jornada para encontrar a princesa há muito tempo desaparecida. Flora, que foi criada em uma ilha remota, é surpreendida ao ser confrontada com seu passado. Mas, no fundo de seu coração, ela sabia que a vida lhe reservava uma grande aventura, além do Mar Eterno. Escoltada pelos dois forasteiros, ela partirá à procura de respostas sobre sua origem, embarcando na maior aventura de sua vida. E o que vai encontrar mudará não só sua relação com o universo, como também o destino de toda uma nação. Porém, é necessário cautela. Os perigos rondam à noite e os estandartes inimigos se aproximam.

Resenha

Flora cresceu na Ilha de Ashteria, onde vivem os sollaris, povo que habita essas terras há muito tempo, e que a defendem com todas as suas forças, e todos eles tem orelhas pontudas, pele esverdeada e cabelos ruivos. Mas ela não sabe que não pertence a essa ilha, não até Dimitri e outro homem aparecerem, e lhe contarem que é herdeira do trono de Hynneldor.

Flora não é violenta. Pelo contrário, não usaria uma faca se não fosse necessário, e isso foi o que mais me admirou nela, a coragem que ela provou ter ao longo do livro, e apesar de algumas escolhas erradas, Flora é uma garota muito esperta, afinal, é bem difícil confiar nas pessoas quando todos parecem ser o inimigo.

“– Suas mãos... estão manchadas de sangue!”
Página 38

O livro é bem curto, mas a história é muito emocionante. Me vi ansiosa para chegar logo no final e ver o que ia acontecer. A história é toda da jornada de Flora e Dimitri, que é uma jornada muito perigosa, cheia de obstáculos e pessoas ruins, que não querem a volta da princesa.

Dimitri é um personagem muuito corajoso. Ele arrisca a própria vida para salvar e ajudar a princesa e o reino, e por mais que ele pareça um pouco grosso e insensível, ele é um personagem muito gentil.
MilkMilks
Dryh Meira

@mor


Titulo@mor
AutorDaniel Glattauer
Editora: Suma de Letras
Páginas189
Edição: 1
Lançamento2012
Sinopse:Num e-mail enviado por engano, começa um relacionamento virtual que testa as convicções de Leo Leike e Emmi Rothner. Leo Leike, ainda digerindo o fracasso de seu último relacionamento, responde de forma espirituosa a duas mensagens enviadas por engano por Emmi Rothner, casada. Inicialmente, ela só queria cancelar uma assinatura de revista. Depois, inclui Leo por engano entre os destinatários de um e-mail de boas festas. Na terceira troca de e-mails, o mal-entendido dá lugar à atração mútua, reforçada pelo fato de um nunca ter visto o outro. Nada como a curiosidade instigada por frases bem encadeadas chegando a intervalos regulares numa caixa postal eletrônica para que os dois se esqueçam dos possíveis impedimentos. A cada dia, Leo e Emmi se sentem mais impelidos a marcarem um encontro. Após trocas contínuas de mensagens, está claro para ambos que o marido dela e as feridas emocionais dele não serão obstáculos para que marquem um encontro. O único obstáculo real é a insegurança de ambos quanto à transformação da fantasia em realidade. A expectativa é uma faca de dois gumes e a realidade pode não estar à altura. A tradição dos romances epistolares, compostos exclusivamente de trocas de cartas, é antiga na literatura ocidental. O primeiro livro com estas características, o espanhol Prisão de amor, de Diego de San Pedro, data de 1485. No século 18, o gênero se tornou popular, com clássicos como Ligações perigosas, de Choderlos de Laclos, Clarissa, de Samuel Richardson, e O sofrimento do jovem Werther, de Johann Wolfgang von Goethe. O austríaco Daniel Glattauer dá nova vida à tradição epistolar em @mor, primeiro de dois romances que exploram um relacionamento sustentado basicamente em trocas de e-mails. Romance de estreia de Glattauer e campeão de vendas na Alemanha e na Espanha, o livro explora, sob roupagem moderna, sentimentos familiares a amantes de todas as gerações.

Resenha


Vamos lá! Uma amiga me indicou esse livro, e pela capa eu já me apaixonei ^^. É um livro que particularmente eu amei, lir em apenas 2 dias rsrsrs pra vocês verem como ele é bom!

O livro não nos trás nenhuma forma de narração, somente a troca de emails o que eu achei muito interessante. Ele tem um texto muito simples de entender, é um romance inteligente que te encanta e te surpreende!

Léo e Emmi se conhecem a partir de um erro por parte dela. A partir daí, os dois começam a se corresponder diariamente, trocando confidencias. Emmi é casada e Léo superando o termino de um relacionamento.

Eles não sabem como são pessoalmente. Aos poucos vão descobrindo as manias, os gostos, o humor e as vontades. Não é fácil para ambos constatar que o fato de Emmi ser casada torna-se um impedimento para que eles transformem esse relacionamento em algo mais concreto e físico. 

Após vários meses desse início inusitado, Emmi deseja desesperadamente conhecer Léo pessoalmente e de uma vez por todas. O que Emmi não sabe é que esse encontro está longe de ser o que ela imaginava.



O que eu não sabia sobre este livro, ele terá continuação, sim! No final do livro este um enorme : CONTINUA...
Como pode? Ok! Esperarei pacientemente pela continuação, espero que a Suma de Letras não adie isso mais que o necessário e publique logo esse livro. Pareço ansiosa, mas só pareço tá? rs bjoooos e até próxima !






Flávia Santos 

As compensações

Oiie pessoal, tudo bem?
Hoje tem mais uma resenha nacional, desta vez do Gustavo Vazquez de Ramos, autor parceiro do blog. Vamos lá?


Titulo: As compensações
Autor: Gustavo Vazquez Ramos
Editora: Novos Talentos da Literatura Brasileira
Páginas: 160
Edição: 1
Lançamento: 2010
SinopseOs quatro contos de As Compensações pairam entre o realismo mágico e a banal irrealidade, em que carências físicas, afetivas e espirituais, para serem compensadas, dependem daquilo que o mundo pode oferecer. Em Da Capo – um violinista sofre um acidente que o faz perder parte de sua mão. Embora novas tecnologias ofereçam um caminho de volta, é preciso admitir o irreparável. No segundo conto, Uma partida de xadrez, os esforços de um exímio enxadrista são retratados por meio de sua autoimposta missão de vencer um oponente desconhecido. As estrelas de várias pontas – com influência lovecraftiana, relata os esforços de uma equipe de investigação para solucionar brutais assassinatos – inclusive a dificuldade entre diferenciar responsabilidades de obrigações e crenças de fatos. Por fim, em Bruxelas, uma grande amizade parece incapaz de perder sua força mesmo com a distância que a separa, os insucessos do início da vida adulta, o tempo, a realidade ou econômicas viagens turísticas.

Resenha

Já tinha lido algumas resenhas desse livro antes, e estava super curiosa para lê-lo. Queria agradecer ao autor, Gustavo, pela oportunidade de ler o livro.
Apesar de ser bem pequeno, e de ser dividido entre quatro contos, As compensações é um livro muito bom.

O primeiro conto fala sobre um rapaz chamado Luis, que era um musico que amava sua profissão. Mas um dia sofreu um acidente e acabou perdendo parte de sua mão. Poderia dizer que entendo a dor e o sofrimento de Luis, mas estaria mentindo se dissesse. As únicas pessoas que podem entendê-lo são as que passaram pela mesma coisa, mas ainda assim não é justificável tudo o que ele fez. Muitas vezes as pessoas sofrem danos psicológicos após algum acidente ou alguma perda, e tenho certeza de que foi isso o que aconteceu com Luís.

Todos os contos são muito bons, mas o que mais mexeu comigo e que mais me agradou foi o primeiro, Da capo, que é o conto de Luís. Já tinha lido vários livros de contos antes, mas nenhum como As compensações. Gustavo trás á tona problemas como raiva, amizade mesmo á distância e não importa o que aconteça, esforços para vencer o desconhecido, investigações para encontrar um assassino... Todos eles são contos muito bem escritos, mas ainda acho que Da Capo é o melhor de todos.
MilkMilks
Dryh Meira

O impossível


Título: O impossível
Elenco: Naomi Watts, Ewan McGregor, Tom Holland, Marta Etura, Russel Geoffrey, Banks
Gênero: Drama
Duração: 114 minutos
Estreia: 21 de Dezembro de 2012
Sinopse:
Maria (Naomi Watts), Henry (Ewan McGregor) e seus filhos tiram férias na Tailândia, para desfrutar alguns dias no paraíso tropical. Mas, na manhã de 26 de dezembro, enquanto a família descansa ao redor da piscina, um rugido apavorante sobe à partir do centro da terra. Uma enorme parede de água surge em direção à familia.





O impossível mostra a história de várias famílias devastadas pelo tsunami que atingiu a Tailândia em 2004, onde a família de Maria estava passando o natal e o fim de ano. Maria é uma médica, e tinha parado de trabalhar para cuidar de seus três filhos. Ela Henry, seu marido, e seus filhos estavam descansando e brincando num hotel á beira da praia, quando ouviram um barulho muito alto, e logo em seguida, uma onda enorme irrompeu do mar e atingiu a praia.

Não sou muito de ver filmes baseados em histórias reais, primeiro porque não é meu gênero favorito, e segundo porque a maioria deles é bem triste, e é o caso desse filme. A produção do filme é muito boa, principalmente no momento em que as ondas atingem o solo, levando tudo com elas, pessoas, árvores, carros, objetos, móveis. Os ferimentos dos atores também são impressionantes, e ao mesmo tempo assustadores.
 
Maria sofre ferimentos muitos graves, e junto com seu filho mais velho, Lucas, tentam encontrar ajuda, e o mais importante: tentam encontrar o resto de sua família, que desapareceu. Mãe e filho acabam sendo socorridos, e levados para um hospital que não foi atingido durante o tsunami.

A realidade do hospital é de arrasar. Não há estrutura para todas aquelas pessoas machucadas, a higiene também não é adequada, com insetos andando para lá e para cá, e também há poucos médicos e enfermeiros. O hospital também é pequeno demais para todas aquelas pessoas, então muitas ficam do lado de fora, esperando ou procurando um parente ou amigo que se perdeu.


Enquanto Maria e Lucas estão no hospital, Henry e seus outros dois filhos estão á procura da esposa e do filho mais velho, e mal sabem que estão mais perto do que imaginam. Esse é um filme emocionante e muito triste, vemos corpos por todos os lados, misturados a entulhos e todos os tipos imagináveis de sujeira.
Mesmo que o mundo esteja ruim desse jeito, vemos através do filme, que há muitas pessoas dispostas á ajudar umas as outras quando uma tragédia dessas acontece. Até mesmo as crianças, como é o caso de Lucas, ajudam no que podem. Pelo menos isso a humanidade ainda é capaz de fazer. Mas ainda assim temos aqueles que não se importam com ninguém além deles mesmos.

É impossível não se emocionar com o final do filme, principalmente se levarmos em conta tudo o que a família passou, todo o desespero e o medo de perderem alguém da família, ou de morrer. O impossível é um filme maravilhoso, e um pouco assustador também.

Nota: 9,5

MilkMilks
Dryh Meira

Belo desastre



TituloBelo desatre
Autor: Jamie McGuire
Editora: Verus
Páginas: 389
Edição: 1
Lançamento2012
Sinopse: Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.

Resenha

Em primeiro lugar eu quero ir logo pedindo desculpas pela resenha que farei desse livro, pois o livro para mim foi tão perfeito que não sei por onde começar e terminar kkkk!
Bom, esse foi o melhor livro que li até hoje ...
Belo desastre é um livro diferente de todos que já li, realmente eu não esperava muito desse livro, não me interessei nem pela capa, mas desde o primeiro capitulo não consegui mais larga-lo. È um livro que te prende completamente. Um romance gostoso de ler. Com uma leitura bem simples.
Durante a leitura você chora, você rir, se emociona  .. Você se encanta!
É um daqueles romances que você fica “Ta, agora eles vão ficar juntos” rsrs e isso te prende na leitura!

Abby Abernathy e Travis Maddox são os personagens centrais da trama, os dois tem personalidades bem diferentes e bem forte. Abby tenta levar uma vida correta , não bebe, não fuma e nem fala palavrão, além de ser estudiosa. Já Travis é o oposto, adora curtir, é super mulherengo e participa de lutas clandestinas nos porões da faculdade em troca de dinheiro.

Os dois acabam se conhecendo por terem amigos em comum, e a principio Travis acaba jogando o seu charme para cima de Abby, porém ela não da bola para ele como é de costume das garotas da faculdade. Travis acaba estranhando a atitude de Abby, e tenta conquista-la, entretanto uma amizade vai crescendo entre os dois. 

Porém uma aposta entre esses dois acaba mudando o rumo dessa grande amizade. 

É um livro que eu super indico, belo desastre tem que ser lido por todos que curtem um romance atual, intenso, arrebatador e cativante.

Acho que é isso, se eu me empolgar conto é o livro todo para vocês ^^ Bjus !


Flávia Santos 

À primeira vista

TituloÀ primeira vista
Autor: Nicholas Sparks 
Editora: Arqueiro
Páginas: 256
Edição: 1
Lançamento: 2012
Sinopse: Jeremy Marsh tinha três certezas: jamais se mudaria de Nova York, não se apaixonaria novamente e nunca teria filhos. Mas agora ele está prestes a se casar com Lexie Darnell e aguarda a chegada da primeira filha, enquanto conduz a reforma de sua nova casa na pequena cidade de Boone Creek, na Carolina do Norte.
Em meio a tantas mudanças, Jeremy luta para reencontrar o equilíbrio pessoal e profissional ao lado da mulher que o fez mudar todos os seus planos. Quando tudo parece estar entrando nos eixos, Jeremy recebe um misterioso e-mail que dá início a uma série de acontecimentos que irão testar a força dessa paixão.
Atormentado pela ideia de estar sendo traído, vivendo uma crise criativa que o impede de trabalhar e angustiado com a gestação complicada de Lexie, ele não poderia imaginar que o pior – e o melhor – ainda estava por vir.

Resenha

Este livro é a seqüência de O MILAGRE, ele foi a cidade de Boone Creek , na Carolina do Norte desvendar o mistério das luzes misteriosas em um cemitério. 
Bom, para entender melhor esse livro é melhor ler O MILAGRE . Agora ele está prestes a casar com Lexie e está aguardando a chegada da primeira filha, enquanto espera e conduz a reforma da sua nova casa na pequena cidade de Boone Creek.
Por meio de muitas mudanças e problemas, Jeremy luta para conseguir se reestabilizar e se equilibrar na vida pessoal e profissional ao lado da sua amada, que o fez mudar todos os planos de vida. Quando está tudo indo muito bem, ele recebe uns misteriosos e-mails que dá início a uma série de coisas que o faz desconfiar da amada Lexie e o faz testar a força dessa paixão.
Inquieto pelo fato de estar vivendo uma crise que o impede de trabalhar, com a gestação de Lexie e com a desconfiança de estar sendo traído, ele não pode imaginar o que vem por ai de pior ou melhor.
À Primeira Vista é um livro realista ao retratar as inseguranças e problemas vividos pelo casal. É possível se identificar com as situações, diálogos e contratempos, mas também com os momentos fofos, românticos e felizes.
Ler O Milagre foi realmente muito bom, mas acho que fez a diferença, porque consegui entender tudo o que os personagens passaram até aquele momento de forma detalhada.




Flávia  Santos

O milagre

Titulo: O milagre
Autor: Nicholas Sparks 
Editora: Agir
Páginas: 328
Edição: 2
Lançamento2010
Sinopse: O romance de Nicholas Sparks traz a história de Jeremy Marsh, um respeitado jornalista que não consegue emplacar um relacionamento afetivo que o faça feliz. Acostumado a viajar pelo mundo à cata de lendas urbanas, Jeremy parte em direção a uma cidadezinha do sul dos Estados Unidos para investigar as misteriosas luzes de um antigo cemitério escravo que teria sido alvo de uma maldição. Lá ele conhece a bela bibliotecária Lexie Darnell, que irá ajudá-lo em sua fantasmagórica missão.
Prestes a descobrir um segredo que poderá abalar os alicerces da comunidade, esse implacável destruidor de mitos terá de se confrontar com o único fenômeno que considera genuinamente misterioso e sobrenatural: uma paixão avassaladora

Resenha

Jeremy um nova-iorquino especialista em desvendar o sobrenatural. Ao receber uma carta da pequena cidade de Boone Creek, Carolina do Norte, relatando um fenômenos com luzes misteriosas contada por uma moradora da cidade, então resolveu investigar o mistério pessoalmente. Pra quem esperava encontrar apenas mais uma cidadezinha típica de interior com mais um mistério fácil de ser resolvido… Ele encontrou mais que isso, rsrs.

Lexie uma charmosa bibliotecária da cidade que ocupava o lugar na mãe que morrerá em um acidente, e neta da autora da carta que jeremy receberá e o levou até ali.
Enquanto fazia suas pesquisas na biblioteca, jeremy não consegue evitar que a sua mente vague.... Pensando em Lexie.


O milagre n
os traz um romance maduro, entre um homem um tanto cético e uma mulher magoada e sem esperanças de que possa ser feliz novamente.
Lexie já foi muito machucada pela vida, e foi traída de uma forma cruel e mesquinha, fato este que a decepcionou bastante. Ela acredita que todos os homens sejam iguais e não consegue enxergar o seu futuro acompanhada de alguém. Mas a presença de Jeremy mexe demais com ela, por mais que tente relutar, e quando menos espera, ele está habitando os seus sentimentos mais recônditos e inesperados.
Mas, apesar de relutar, Lexie percebe que Jeremy começa a ocupar seus pensamentos com mais freqüência do que gostaria de admitir.


Nicholas Sparks conseguiu mostrar com simplicidade quanto o amor pode mudar a vida de uma pessoa e até onde ela está disposta a se modificar para viver esse sentimento. Amei o desenvolvimento do romance do casal, e principalmente o final, que só consigo traduzir como mágico.
Agora Jeremy precisa fazer a sua escolha, voltar para Nova York ou ficar em Boone Creek e fazer algo que jamais fez antes.


O Milagre fará com que você também acredite no amor.


Flávia Santos 

Estantes

 Oie pessoal, tudo bem?

Hoje eu estava em dúvida se postava uma resenha literária, ou uma resenha de filme, mas aí eu olhei para a minha estante e decidi fazer um post sobre estantes.


Todos os leitores são loucos por estantes decoradas e diferentes, e é por isso que eu decidi fazer este post, mostrando as estantes mais divertidas e criativas da internet.
O sonho da maioria dos leitores é ter uma estante diferente, que ninguém mais tenha, uma estante única e exclusivamente sua, e essas são as minhas preferidas. Além de muito criativas, e além de guardar livros, algumas estantes também possuem um lugarzinho para leitura.

Adicionar legenda

Criatividade é o que não falta


Quem poderia imaginar que uma poltrona pudesse virar uma estante?

Sempre quis uma dessas *-*

Imaginem só que confortável uma estante dessas no seu quarto

Criatividade é o que não falta, além de guardar seus livros, ainda tem um espacinho para leitura

As minhas preferidas são a primeira e a penúltima, que parecem ser as mais confortáveis e mais
"ecológicas" rsrs..E vocês, gostaram de qual?

MilkMilks
Dryh Meira

Top 5 livros que fazem chorar

Oie, tudo bem?
Hoje eu fui fazer uma visitinha ao blog Tempo á Toa, e vi um post muito legal do Gustavo Kunz, e decidi me inspirar nesse post para preparar o meu.
Todo mundo já deve ter lido algum livro que te fez chorar, nem que seja só um pouquinho, ou pelo menos um aperto no coração. Eu por exemplo, já li vários livros que me fizeram chorar, ou que me deixaram bem triste.
O post de hoje será justamente esse: uma pequena lista de alguns livros que fazem os leitores chorarem.


5 - Um Dia
Um Dia é um dos livros que mais deixaram meu coração apertado. Quem já viu o filme sabe o que esperar do livro, que consegue ser ainda mais triste. Um Dia é uma história de amor muito linda. Não cheguei a chorar nesse livro, mas sei que muita gente sim.




4  - P.S. Eu te amo
Quem nunca ouviu falar de Cecelia Ahern e de seus livros? Quem nunca sentiu vontade de ler P.S. Eu te amo? Esse foi um livro que me deixou triste, mas não me fez chorar. É uma história muito bonita, e também nos ensina várias coisas que servem para a vida toda.





3  - Cante para eu dormir
Cante para eu dormir é uma história linda, e muito triste. A resenha ainda não foi postada no blog, mas logo  a teremos aqui. Não vejo muitas criticas boas desse livro pela internet, mas dou a minha palavra de que é um livro maravilhoso.



2 - A culpa é das estrelas
A culpa é das estrelas é um dos livros mais lindos que eu já li. Até hoje quando me lembro da história, sinto um aperto muito grande, pois a história é muito triste, e o final é devastador. 







1 - O destino do tigre
Esse na verdade é um livro de aventuras e romance. Muita gente já deve ter lido A maldição do tigre (e odiado muito a Kelsey) e devem estar perguntando "de onde ela tirou que a série faz chorar?" bem simples, o fato de Kelsey ser muito chata e ter dois namorados maravilhosos já nos deixa bem triste (ás leitoras) e quando vemos o final que Coleen deu para os nossos tigrinhos, ficamos ainda mais chocadas. Quando terminei de ler O destino do tigre, chorei pra caramba. Não sei como isso aconteceu, mas o fato de não ter mais nenhuma aventura com Ren e Kishan, me deixou muuito triste.

E aí, qual o livro que mais fez você chorar?

MilkMilks
Dryh Meira




Doce perseguição

Oie pessoal, tudo bem?
Hoje é um dia muito importante, então trouxe a resenha de uma autora muito especial, mãe de quatro filhos peludos de quatro patas: Janethe Fontes.

Titulo: Doce perseguição
Autora: Janethe Fontes
Editora: Giostri
Páginas: 248
Edição: 1
Lançamento: 2012
Sinopse: Uma jovem brutalmente assassinada... Um homem frio e perigoso... Uma promessa de vingança... Graziela tinha apenas quatorze anos de idade quando a irmã fora violentamente assassinada, e ela jurou vingança ao assassino. Essa, porém, seria a missão mais difícil de sua vida, pois, por mais que renegasse seus sentimentos, ela amava o principal suspeito do assassinato... Mas Graziela está disposta a ir até as últimas conseqüências para descobrir a verdade e cumprir sua promessa. Afinal, a paz de seu coração depende exclusivamente disso...

Resenha

Já parou para pensar quais seriam os motivos dos assassinatos passivos do Brasil? Raiva? Ciúmes? Inveja? Neste livro temos uma trama bem forte de um caso como esses: Graziela perdeu seus pais e seu irmãozinho num acidente de carro há muito tempo quando estava entrando na adolescência, e só lhe restava sua irmã mais velha, Helena. Helena namorava Felipe, mas tinha um caso com seu primo, Rodrigo, e Grazi sabia disso.  Logo que viu Felipe, Grazi acabou se apaixonando pelo rapaz. Felipe também sentia uma atração muito forte por Grazi, mesmo sabendo que era errado, já que namorava a irmã dela.

Algum tempo depois, ao acordar, Graziela vê que sua irmã foi brutalmente assassinada dentro de casa.
Foi declarado então, que o assassino de Helena era Felipe, mesmo que não tivessem provas do crime. E assim que Felipe foi preso, Grazi se mudou para Paris, onde viveu durante muito tempo, até que decidiu voltar para o Brasil, e descobriu que Felipe estava solto. Grazi tinha certeza de que Felipe havia assassinado sua irmã, e prometera a si mesma fazer de tudo para que ele pagasse o crime.

Recebi esse livro diretamente da autora, e agradeço muito a oportunidade de ler um livro tão bom, que me deu horas de entretenimento. Não sei como explicar o quanto gostei desse livro, foi bem difícil fazer essa resenha, principalmente porque não tinha palavras para expressar o que achei do livro. Já tinha lido Vitimas do silêncio, também escrito por Janethe Fontes (link da resenha aqui) e havia gostado muito, mas gostei ainda mais de Doce perseguição.

A história é super envolvente e em momento algum ficou cansativa. Me vi presa dentro do livro, acompanhando os passos de Grazi e sentindo o sofrimento dela ao perder a irmã. É impossível não se emocionar ao ler o livro, e assim que o terminei, fiquei imaginando a dor das pessoas que perdem um ente querido por ciúmes, assim como Grazi perdeu sua irmã.

Grazi é uma personagem maravilhosa, e mesmo que aja como criança muitas vezes, ela tem um bom coração, e só quer que a morte de sua irmã seja vingada. Em momento algum achei que Felipe era o assassino, mesmo que as poucas provas apontassem para ele. A autora coloca vários personagens como suspeitos, e cabe ao leitor decidir quem vai apoiar. Doce perseguição é uma caixinha de surpresas, e eu fiquei super surpresa ao ler o final do livro, que é ao mesmo tempo surpreendente e emocionante.

O livro beira entre romance e investigações, e acho que a autora fez bem em juntar esses dois temas, pois a história ficou maravilhosa com a mistura dos gêneros. Nunca havia parado para pensar nos motivos que levavam as pessoas a fazerem besteiras como assassinar alguém por ciúmes, mas agora que li Doce perseguição vi que o pior monstro é o ser humano, que faz de tudo para ter o que quer... E quando não consegue, faz de tudo para que ninguém mais tenha.

MilkMilks
Dryh Meira

Obs.: Um feliz dia das mães para todas as mães do Brasil e do mundo, que vocês sejam muito felizes e muito amadas a cada dia.

João e Maria, caçadores de bruxas

Oie pessoal, tudo bem?
Desde o lançamento do filme João e Maria caçadores de bruxas, estou tentando fazer uma resenha para o filme, e somente agora consegui...Ufa!!!

Essa é a primeira resenha de filme que eu faço, então não sei se está boa, então por favor, se tiverem alguma dica, deixem nos comentários *-*


Ficha técnica
Diretor: Tommy Wirkola
Elenco: Jeremy Renner, Gemma Arterton, Famke Janssen, Peter Stormare, Zoe Bell, Derek Mears, Monique Ganderton, Thomas Mann, Ingrid Bolsø Berdal, Pihla Viitala, Christian Rubeck, Thomas Scharff, Stig Frode Henriksen, Jeppe Laursen, Jason Oettle, Alea Sophia Boudodimos, Cedric Eich, Isaiah Michalski, Wolfgang Lindner, Lucy Ella von Scheele, Lena Gutschank, Joanna Kulig, Alessija Lause, Vanessa Wieduwilt
Duração: 83 min.
País: EUA
Gênero: Ação
Classificação: 14 anos

Sinopse
Depois de pegarem um gostinho por sangue quando crianças, João (Jeremy Renner) e Maria (Gemma Arterton) se tornaram vigilantes extremos, determinados a defender seu povo. Agora, sem que eles saibam, João e Maria passam a ser a caça e têm de enfrentar um mal muito maior do que as bruxas: seu passado.

1º Nunca entre numa casa de doces
2º Se vai matar uma bruxa...Faça churrasquinho dela!

Quem é louco por filmes de ação e ficção não pode deixar de ver João e Maria caçadores de bruxas, filme lançado em 3D no final de Janeiro de 2013.
Já no começo do filme sentimos aquela adrenalina correndo no sangue, nos preparando para qualquer susto que possamos levar. Há várias criticas ruins sobre esse filme rodando pela internet, mas achei o filme muito bom, apesar de parecer tudo feito no computador, principalmente os efeitos de pessoas sendo cortadas no meio e sangue voando para todos os lados. É um verdadeiro banho de tinta vermelha.
Ai caramba, isso era pra ser sangue?
Já quando crianças, João e Maria sofreram nas mãos de uma bruxa que morava numa casa feita de doces, que ficava na floresta próxima á casa deles.
Perdidos, eles não tiveram opção a não ser entrar e depois de verem que se meteram num problemão, enfrentar a bruxa, que era terrivelmente assustadora, (realmente capricharam na maquiagem das atrizes) e tiveram a experiência horrível de queimar a primeira bruxa... Adivinha só? Pegaram o jeito e se tornaram os caçadores de bruxas mais conhecidos da época.

Passando de cidade á cidade, os irmãos caçavam e matavam todas as bruxas que encontravam, em troca de recompensas, é claro, eles precisavam manter o estoque de armas né? (e devo dizer, mas que estoque de armas! Faz as armas de The Walking Dead parecerem brinquedos de criança). O filme é incrível e tal, tem a história de João e Maria misturada com outra história de mitos de bruxas que levam crianças e fazem um ritual para ganharem poderes e serem invencíveis, mas parece que pegaram uma história qualquer de bruxas, juntaram com um pouco de ação dramática e pronto, saiu o filme. Não me lembro direito, mas já vi algum filme bem parecido com esse... E a idéia de colocarem varinhas nas mãos das bruxas fez o filme parecer um pouco amador.

Por mais que o filme seja bom, achei bem exagerado as lutas, e é bruxa lançada pra cá, e árvore quebrada sendo lançada pro outro lado da floresta, e os irmãos são jogados para todos os lados possíveis e dão cambalhotas, apanham ali, apanham aqui, levam coronhadas, socos, pontapés, flechadas, chutes... Parece um desenho animado, onde o personagem se machuca e se machuca novamente mas continua inteiro, com apenas uns arranhões em alguns lugares, um risco de sangue aqui e ali, e está pronto para mais uma.

Não pude deixar de perceber que uma hora João e Maria lutam com todas as forças possíveis para derrotar uma bruxa não muito poderosa, que, de acordo com eles, é possível derrotar de olhos fechados; mas na hora que mais precisam de suas energias para sobreviver, na hora do vamos ver, eles ficam no chão esperando para morrer, sem ao menos tentar se levantar e atacar o inimigo. Principalmente Maria, que na hora H acaba caída no chão, esperando que João a socorra, quando ela poderia ter feito o que fez alguns minutos atrás, principalmente se levar em conta que durante 15 anos ela lutou com bruxas de diferentes poderes.

Esperava que o filme durasse mais ou menos uma hora e meia, ou até mesmo duas horas, e com o tema que é tratado, crianças que desaparecem sem parar, bruxas malignas (e muuito feias) voando para lá e para cá em quase todas as cidades, e dois caçadores experientes que entendem praticamente tudo de bruxas, e descobrem muito rápido as coisas, faz parecer que o filme demora bastante, e que o conflito é muito maior do que parece, mas dava para aumentar muito mais o tempo de duração, acrescentar um pouco mais de história. O filme acaba muito rápido, e por causa das lutas que surgem de dez em dez minutos, nem percebemos que de uma hora para a outra ele acaba bem rapidinho.

Sabe quando aparece um personagem que você não vai com a cara na hora? E fica pensando e pensando, se esse personagem vai virar um monstro, ou no caso uma bruxa, e atacar os mocinhos quando eles acharem que estão seguros? Muito bem, não fugi disso quando vi o filme. Tem sempre aquele personagem que parece santo demais e inocente demais que deixa um clima meio tenso, e você fica pensando se ele é ou não do mal.

Os efeitos são bons, mas parece que misturaram água com um pouco de tinta vermelha, pintaram pedaços de plástico e jogaram para dizer que são pedaços das bruxas e das pessoas. A maioria dos filmes parecem ser assim, mas um ou outro conseguem se salvar, com sangue e pedaços de corpos que parecem “verdadeiros” e não saídos de uma tela de computador ou de um pedaço de plástico e de uma lata de tinta.

A bruxa principal parece um pouco com a bela dama (Coraline)
Não posso deixar de mencionar, que apesar de todas essas coisas que não passaram despercebidas, a forma que as bruxas lutam e atacam é bem engraçada... Sim, principalmente se essas bruxas forem aleijadas ou coladas umas nas outras, ou se forem tão medrosas a ponto de pegar a vassoura e sair o mais rápido possível no primeiro sinal de problema. E ainda tem aquelas com rostos tão monstruosos que acabam sendo engraçados.

Esperava uma pitadinha a mais de romance ali no meio daquela confusão toda, principalmente se levarmos em conta que os irmãos sempre estiveram sozinhos, apenas os dois. Sei lá, achei que iria aparecer um carinha bonitinho na cidade e ele e Maria iriam se apaixonar e depois viver felizes para sempre...A cena final que encerra essa aventura dos irmãos pareceu mais Power Rangers do que outra coisa, é aquele momento em que algo explode atrás dos personagens, mas eles continuam andando.
Não olhe para trás Maria, precisamos de uma saída triunfal

Nota Final : 8,0

MilkMilks
Dryh Meira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...