Insurgente

Oie pessoal, tudo bem com vocês?

Vocês já leram Divergente? Gostaram? Então, Insurgente é o segundo livro da série, e eu trouxe a resenha dele para vocês hoje. Divergente já foi resenhado no blog (aqui)
Sou super fã dessa série, mas sinceramente, não estou muito ansiosa para ver o filme. (confesso que odiei os atores escolhidos como Tris e Quatro, e também tenho medo que estraguem o filme *-*)

Abaixo o trailler do filme Divergente, e em seguida a resenha de Insurgente.
Não se esqueçam de comentar o que acharam ;)


Titulo: Insurgente
Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 512
Edição: 1
Lançamento: 2013
Sinopse: Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor. 

Resenha

Assim que terminei de ler Divergente, senti que precisava ler o próximo livro, pois Divergente acabou de um jeito que me fez querer saber a continuação. Foi aquele tipo de livro que te prende de uma forma, e não solta até a história toda acabar, então dei um jeitinho, e comprei Insurgente. Bom, nem preciso dizer que li o livro com as maiores expectativas, imaginando dezenas de coisas que poderiam acontecer, mas devo dizer que o livro não é tudo aquilo que eu pensei que fosse.
Divergente foi um dos melhores livros que eu já li, e Tris a única personagem que não me tirou do sério. Insurgente foi diferente...

O casal Tris e Tobias estão sempre brigando, quem antes não discutia e pareciam ser perfeitos um para o outro, agora parecem mais duas pessoas que não se gostam e não suportam estar perto do outro. Peter está diferente, no começo eu pensei que ele finalmente tinha decidido o que fazer da vida e que havia deixado a covardia de lado, mas quem nasce para ser covarde, covarde é. Mas nem por isso eu deixei de gostar dele, por mais que seja um idiota covarde, Peter ainda é o meu personagem favorito dessa série.

Depois do episódio dos “zumbis” da Audácia, Tris, Tobias, Peter, Marcus e Caleb vão para a Amizade, onde esperam conseguir ajuda para derrotar a Erudição e os traidores da Audácia, aqueles que não são mais controlados, mas que decidiram ficar a favor da Erudição. Tris não mudou muito, ela continua querendo fazer o necessário, e pensando mais nos outros do que nela mesma, até mesmo querendo morrer para ajudar os outros, mesmo que não mereçam sua ajuda.

“Sei que pareço um passarinho, estreita e pequena, e com a cintura reta e frágil, como que feita para voar.” – página 57

O livro é emocionante e as cenas de ação continuam magníficas, ainda fico impressionada com a forma que Veroica escreve as cenas de ação, e também com a inteligência de Tris, ela acaba sendo até mais inteligente que o irmão. Nunca fui com a “cara” do irmão dela, Caleb, sempre achei que ele era um bobo que só atrapalhava, e que ia acabar fazendo alguma coisa errada para prejudicar os outros.

O livro tem uma reviravolta surpreendente no final, mas também conta com um final que acabou me deixando um pouco confusa.. Ainda não entendi o que a autora quis com aquele final. Vi na internet (mais precisamente, na blogosfera) que muitos leitores também ficaram mega revoltados com a Veronica e o final de Insurgente. Mas fazer o quê, né? Ainda com um final estranho desse, o livro é tão bom quanto o primeiro.
Já comprei meu Convergente em pré-venda, e mal vejo a hora dele chegar!!!

MilkMilks
Dryh Meira

5 comentários

  1. Tenho muita curiosidade em ler essa série pois todos falam muito bem!
    Adorei a resenha!
    EmyLu- Louquinha por Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é uma série incrível Emy, acho que você vai amar ^^

      Excluir
  2. Olá! Bom, eu adorei o que a autora colocou no final de Insurgente. Acho que ela vai trilhar um caminho completamente diferente de outras distopias. Geralmente o mundo ficou de um determinado jeito, com uma nova forma de ordem, pois nós estávamos completamente descontrolados (e estamos quase lá mesmo), porém, é como se o mundo continuasse como está e eles não passassem de um experimento. Bom, foi isso que eu entendi, quero muito ler o próximo para saber o que vai acontecer :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. infelizmente eu quase não entendi nada *-* fico me perguntando se a Veronica vai "pôr" rebeldes fora da sociedade como em outras distopias...

      Excluir
  3. Gostei da resenha Dryh. Insurgente parece ser uma distopia interessante e se tiver a oportunidade, pretendo conferir. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir

Oiê! Muito obrigada por passar por aqui, deixe um recadinho com o link do seu blog e a gente dá uma passadinha lá mais tarde :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...